Últimos Posts


Além de fofo e talentoso, o ator Josh Hutcherson mostrou aos fãs que outra GRANDE qualidade: o dote.



Foto: Reprodução/Youtube
Ela é a rainha do som africano do kuduro e a primeira cantora a assumir a transexualidade em Angola. Titica é querida pelas crianças e se tornou ídolo pop em seu país, mesmo diante do conservadorismo. Hoje, faz grande sucesso também fora da África. No Brasil, esteve no palco Sunset do Rock in Rio, onde junto com o grupo BaianaSystem misturou o som africano do kuduro com o ritmo de Salvador.

Foto: Na Escola/Reprodução via Revista Fórum
Se parte da direita brasileira tinha os Estados Unidos como referência, é provável que tenha que mudar o país para espelhar. A Igreja Anglicana norte-americana divulgou, esta semana, um guia anti-bullying em que orienta as suas mais de 4 mil escolas no país a não rotular seus alunos por questões de gênero – enquanto isso, no Brasil, a direita inventa pautas como a “ideologia de gênero” ou o “escola sem partido”.


Na última terça-feira, 14 de novembro de 2017, no início da noite, a comunidade universitária foi surpreendida com a presença indevida e não autorizada da Polícia Militar no Campus Universitário da UFRN. A ação policial foi desencadeada em total desrespeito à UFRN, uma vez que a Reitora, única autoridade legítima e competente para solicitar a interveniência de força policial para salvaguardar a segurança da comunidade universitária, julgadas a pertinência e a excepcionalidade da situação, sequer foi consultada ou comunicada.

Foto: Reprodução
A chef de cozinha ítalo-argentina Paola Carrosella, uma das mais famosas e respeitadas do Brasil, mostrou mais uma vez que tem consciência social e está ministrando, em São Paulo, um curso de gastronomia voltado a pessoas trans. A cozinheira tem dois restaurantes na capital paulista e é jurada do reality-show MasterChef Brasil.

De acordo com informações do blog Social 1, de Mirella Martin, Paola batizou o curso de “sessões de acolhimento” e ensina as técnicas, aperfeiçoa habilidades e estimula a empregabilidade desta população na gastronomia. Pelo menos 25 ajudantes de cozinha trans vão se formar.

Travestis e transexuais fazem parte do segmento mais marginalizado entre os LGBTs. Estudos recentes apontam que mais de 90% desta população está desempregada ou vive na prostituição.

Via Revista Fórum com informações de NLucon.

O Brasil registrou 1.095.535 casamentos civis em 2016, dos quais 1.090.181 entre pessoas de sexos diferentes e 5.354 entre pessoas do mesmo sexo. Houve queda de 3,7% no total de casamentos em relação a 2015. É o que mostra a pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2016, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada hoje (14).

A redução foi observada tanto nos casamentos entre cônjuges de sexos diferentes quanto entre cônjuges do mesmo sexo, com exceção das regiões Sudeste e Centro-Oeste que apresentaram aumento nos casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, de 1,6% (de 3.077 para 3.125 casamentos) e 7,7% (de 403 para 434 casamentos), respectivamente.

No Brasil, nas uniões civis entre cônjuges solteiros de sexos diferentes, os homens casam-se, em média, aos 30 anos, e as mulheres, aos 28 anos. Nas uniões entre pessoas do mesmo sexo, a idade média no casamento era de cerca de 34 anos, tanto para homens quanto para mulheres.

Divórcios

Em 2016, a pesquisa apurou que foram concedidos 344.526 divórcios em 1ª instância ou por escrituras extrajudiciais, um aumento de 4,7% em relação a 2015, quando foram registrados 328.960 divórcios.

Em média, o homem se divorcia mais velho que a mulher, com 43 anos dele contra 40 dela. No Brasil, o tempo médio entre a data do casamento e a data da sentença ou escritura do divórcio é de 15 anos.

A maior proporção das dissoluções ocorreu em famílias constituídas somente com filhos menores de idade (47,5%) e em famílias sem filhos (27,2%). A guarda dos filhos menores é ainda predominantemente da mãe e passou de 78,8% em 2015 para 74,4% em 2016. A guarda compartilhada aumentou de 12,9% em 2015 para 16,9% no ano passado.

Nascimentos

No ano passado, 2.793.935 nascimentos foram registrados no Brasil, uma redução de 5,1% na comparação com 2015, quando foram contabilizados 2.945.344 nascimentos. Foi a primeira queda desse número desde 2010.

A região com menor queda foi a Sul (-3,8%) e com a maior redução foi a Centro-Oeste (-5,6%). Entre as unidades da Federação, apenas Roraima apresentou aumento de nascimentos (3,9%). Já Pernambuco teve a maior queda no número de nascimentos (-10%).

Segundo o IBGE, os nascimentos no Norte do país têm maior concentração no grupo de idade das mães de 20 a 24 anos (29,6% dos nascimentos), resultado de uma população relativamente mais jovem nessa região em comparação com as demais.

Por outro lado, nas regiões Sul e Sudeste, o maior percentual de nascimentos ocorre entre as mulheres de 25 a 29 anos (Sul, 24,7% e Sudeste, 24,3%), 20 a 24 anos (23,5%) e 30 a 34 anos (22,1%).

Via Agência Brasil.

O brasileiro é generoso e se sente bem ao exercer a generosidade. A pesquisa Country Giving Report Brasil, feita pela Charities Aid Foundation, instituição ligada à caridade sediada no Reino Unido, revela que 68% dos brasileiros fizeram alguma doação em dinheiro no último ano e metade deles foi movida pelo desejo de bem-estar pessoal. O levantamento ouviu 1.313 maiores de 18 anos com acesso à internet distribuídos por todo o país.

“Os brasileiros estão engajados nas causas sociais e dispostos a contribuir para a solução de problemas”, disse Paula Fabiani, diretora-presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis), voltado ao apoio ao investidor social e que foi responsável pela realização na pesquisa no Brasil.

Segundo o estudo, feito entre junho e julho deste ano, cada doador desembolsou em média R$ 250 nos últimos doze meses. Se entre os que ganham mais os valores doados são maiores, quem tem rendimento menor fez doações proporcionalmente mais generosas.

Em outras palavras, na faixa dos que recebem mais de R$ 100 mil ao ano, a média doada foi de R$ 352, enquanto aqueles cuja renda é inferior a R$ 10 mil anuais doaram R$ 120 em média. Este ano o levantamento não avaliou o montante total doado pelos brasileiros, mas a pesquisa anterior, realizada um ano antes, chegou a R$ 13,7 bilhões.

Dinheiro para organizações religiosas

Quase metade dos doadores (49%) declarou ter doado para organizações religiosas, tanto para as igrejas diretamente quanto para projetos desenvolvidos por elas. Em seguida, aparecem doações a trabalhos dirigidos às crianças (42%) e aos pobres (28%).

Pouco mais da metade dos pesquisados (52%) realizou trabalho voluntário nos últimos 12 meses. Nesse quesito, o apoio a organizações religiosas também liderou (40% ) e os jovens de 18 e 24 anos foram os que mais participam (39%).

Além da satisfação pessoal, outros motivos que levam o brasileiro a doar são a defesa de uma causa (41%) e a crença de que todos devem ajudar a resolver os problemas sociais (40%).

Via Agência Brasil
Foto: Reprodução/Revista Fórum
Apesar de ser heterossexual e cisgênero, o feirante Petherson Roberto dos Santos, de 24 anos, foi vítima, nesta quarta-feira (8), de transfobia. Ele deu a vida por sua irmã transexual, Lorena Vicente, que estava sendo agredida por um transfóbico que passava na rua.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado no 92º DP da capital paulista, Lorena estava sentada em um banco público de uma praça da zona sul de São Paulo, em plena luz do dia, quando começou a receber xingamentos transfóbicos de um homem que passava de bicicleta. Ele ainda tentou atirar sua bicicleta contra a jovem.

Petherson, que trabalha na feira que acontece na praça, viu a situação e tentou enfrentar o agressor para defender a irmã. Eles entraram e luta corporal e, em um momento, Petherson caiu no chão e bateu a cabeça. O agressor, por sua vez, continuou desferindo socos no rosto do jovem já desacordado. O SAMU foi chamado mas Peterson morreu no local. O agressor, que foi identificado como Luiz Carlos Mariano, fugiu em sua bicicleta

A polícia, que ainda não localizou o suspeito, considera a motivação transfóbica do crime. Qualquer informação sobre o agressor deve ser repassada ao Disque-Denúncia, no 181.

Via Revista Fórum com informações do NLucon
Foto: Divulgação
Cinema, oficinas e palestras. Tudo isso aliado a um cenário paradisíaco do Rio Grande do Norte. A partir do dia 17 de novembro, o município de São Miguel do Gostoso, recebe a 4ª edição da Mostra de Cinema de Gostoso. A programação completa acaba de ser divulgada pela organização e, até o dia 21 deste mês, o público terá acesso a um leque de atividades e sessões gratuitas.

Este projeto é realizado pela Heco Produções e pelo Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC). Oferece uma série de cursos de formação técnica e audiovisual para jovens do município e distritos arredores. Ao longo de quatro anos (2013-14-15-16) este grupo de jovens já realizou mais de 30 oficinas, produziu oito curtas-metragens e três edições da Mostra de Cinema de Gostoso, esta, criada em 2013 como resultado desses cursos de formação técnica e audiovisual.

Para amantes, curiosos, estudantes e profissionais da área, a Mostra está dividida em quatro programações paralelas, sendo elas: Mostra Infantil, Mostra Competitiva, Mostra Panorama e Sessões Especiais.  Confira programação completa clicando aqui.

Foto: Divulgação
Por meio das sessões ao ar livre na Praia do Maceió e também na sala de cinema do Centro de Cultura, a população tem a oportunidade de assistir aos mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros e conta também com mesas de debate com realizadores e convidados. O projeto se tornou um evento de destaque no meio cinematográfico nacional e um dos mais importantes do estado.

A Mostra tem patrocínio da Lei de Incentivo a Cultura, BNDES, Grupo Banco Mundial, Governo do Rio Grande do Norte e Governo Cidadão; realização da Heco Produções, CDHEC, Ministério da Cultura – Governo Federal e apoio da Prefeitura Municipal de São Miguel do Gostoso, FECOMÉRCIO, SESC, IFRN, Cinemateca Potiguar, InterTV Cabugi, iNPUT, Mistika, Itograss e Pousada dos Ponteiros.


Foto: Reprodução/Shutterstock
A cada dia, mais jovens estão apresentando perda de audição causada pelo uso irregular de fones de ouvido. O alerta é feito pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa). “Os adolescentes usam esse equipamento de som com volume muito alto. A gente vem notando que a audição deles não é tão normal como antigamente, já tem mais perda. E se continuar a usar esse som alto, eles terão uma perda irreversível, não volta mais ao normal”, disse a presidente do CFFa, Thelma Costa.

Segundo ela, as perdas auditivas por causa de ruído estão aumentando entre a população, tanto por ruído industrial, quanto por equipamentos de som. Ela cita como exemplo o caso dos músicos, lembrando que existem protetores auditivos que selecionam o som. "Então, eles conseguem seguir com a profissão e estão se prevenindo, o que não acontece com os adolescentes.

A presidente do CFFa orienta os pais e responsáveis a monitorar o volume dos fones de ouvido. “Se você estiver a 1 metro da pessoa e ouvir o que ela está escutando, ela provavelmente terá uma perda de audição. A 1 metro de distância, você não deve ouvir o que a pessoa está escutando no fone de ouvido”, reforçou Thelma, que é especialista em audiologia.

Conselho Federal de Fonoaudiologia alerta sobre aumento da surdez entre jovens - Foto Cyntia Veras/Governo do Piauí
A orientação é baixar o volume. Segundo ela, já houve uma proposta de projeto de lei no Congresso Nacional para que esses equipamentos tenham controle máximo de volume, mas ele não foi aprovado. Além disso, a fonoaudióloga explicou à Agência Brasil que as escolas precisam pensar melhor na estrutura das salas de aulas, para que sejam construídas em locais mais silenciosos ou com melhor acústica.

Prevenção e tratamento

Hoje (10), no Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez, o CFFa alerta que existem várias situação que podem causar problemas de audição e muitos delas são preveníveis. Thelma explica que as causas para a perda de audição dependem da fase da vida. Os bebês, por exemplo, podem nascer com deficiência auditiva por problemas na gestação, quando a mãe é usuária de drogas, teve sífilis ou rubéola durante a gravidez, ou problemas no parto. “Por isso é importante fazer o teste da orelhinha na maternidade, para saber se nasceu surdo ou não e intervir, se necessário”, disse.

No caso das crianças, as otites devem ser tratadas com cuidado e a vacinação deve estar em dia. Doenças como meningite e caxumba podem causar perda de audição, por exemplo, e há vacinas disponíveis na rede pública. No caso dos adolescentes, além do uso irregular dos equipamentos de som, eles podem ter as mesmas patologias das crianças.

Há causas que não são preveníveis, como algumas doenças em adultos, otosclerose e AVC por exemplo, e em casos de AVC, além das perdas progressivas causadas pela idade. “Mas há muitas que se consegue prevenir, principalmente por exposição ao ruído”, enfatizou Thelma.

Segundo a presidente do CFFa, a tecnologia de aparelhos auditivos melhorou muito ao longo do tempo, inclusive sendo implantada dentro do ouvido. Entretanto, mais importante que a amplitude do som é a qualidade desses equipamentos. “Antigamente, se colocava o aparelho e ele aumentava o som. O paciente escutava, mas continuava sem compreender. Hoje é como se aumentasse o volume com um som estereofônico muito melhor. O paciente ouve e tem uma qualidade sonora muito boa”, disse.

Thelma explicou ainda que, antigamente, só usava aparelho quem apresentava uma perda moderada de audição. Hoje, qualquer pessoa com perda leva, dependendo da necessidade, é um paciente em potencial para o uso de aparelho de amplificação. “Mas o uso do aparelho não previne a progressão da perda de audição. A prevenção, no caso de exposição a ruído, é parar de se expor, então aquela perda estaciona, mas não melhora”, ressaltou.

Tema do Enem

A fonoaudióloga comentou também o tema da redação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano - “Desafios para a Formação Educacional de Surdos no Brasil”. Segundo ela, muitas pessoas argumentaram que o aluno do ensino médio não tem conhecimento para discorrer sobre o tema, mas para Thelma, o assunto da inclusão deveria ser debatido por todos, inclusive porque o deficiente auditivo faz parte da comunidade escolar, assim como qualquer pessoa com deficiência.

“Já os desafios são vários, porque existe a questão da formação do professor. O aluno, seja surdo ou com qualquer deficiência, é colocado na sala de aula, mas não é incluído, muitas vezes porque o professor não tem formação para incluir. É muito mais fácil incluir pessoas com deficiência física, mas com relação ao surdo, é preciso ter um intérprete e uma maneira diferente de dar aula. É um desafio, sim, e muitos professores terão que saber lidar com a educação do surdo”, disse.

As questões da inclusão e do preconceito devem ser debatidas não só nas escolas, mas em toda a sociedade, pois pessoas com perdas profundas de audição precisam ser compreendidas em todos os lugares. “Muitas vezes, o surdo, que é quem tem perda profunda, se depara com situações onde não consegue compreender e ser compreendido”, explicou Thelma.

O preconceito existe ainda na própria pessoa com deficiência auditiva. “A primeira pergunta que ela faz é se o aparelho vai aparecer. Como se, desaparecendo o aparelho, desaparece o problema. Isso é preconceito da própria pessoa. E a gente pergunta: 'Mas você usa óculos? Qual é a dificuldade e a diferença?'”, acrescentou a especialista.

Via Agência Brasil
Foto: Divulgação/TV globo
A atriz e humorista Márcia Cabrita morreu hoje (10) aos 53 anos de idade. A morte da artista foi informada pela TV Globo, onde ela trabalhava. Seu trabalho mais recente foi a novela Novo Mundo, exibida na emissora entre março e setembro deste ano.

Nascida em Niterói, em 1964, a atriz foi diagnosticada com câncer no ovário em 2010. Depois da descoberta da doença, ela fez uma cirurgia para retirada dos ovários e do útero e quimioterapia, segundo informações da Globo.

Entre os trabalhos da atriz, destacam-se o humorístico Sai de Baixo, de 1997 a 2000, As Noivas de Copacabana (1992), Desejos de Mulher (2002), Sete Pecados (2007), Beleza Pura (2008) e Morde e Assopra (2011).

Via Agência Brasil.
Foto: Divulgação/MASP
O Museu de Arte de São Paulo (Masp) deve anunciar ainda nesta terça-feira (7) que a exposição “Histórias da Sexualidade”, proibida para menores de 18 anos desde a sua abertura, deixará de ter essa restrição. A classificação etária deixará de ser proibitiva para se tornar indicativa. Assim, menores de 18 anos poderão visitar a exposição, desde que acompanhados por seus responsáveis. As informações são do Blog do Laudo Jardim, em O Globo.

A decisão foi tomada tendo como base uma nota técnica da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão do MPF, que decidiu sobre a liberdade de expressão artística em face da proteção de crianças e adolescentes. Segundo a procuradora Deborah Duprat, a classificação etária “é meramente indicativa” e “não cabe ao Estado (nem aos promotores do espetáculo ou diversão) impedir o acesso de crianças ou adolescentes a eventos tidos como ‘inadequados’ à sua faixa etária”.

Via Revista Fórum com informações do Blog do Lauro Jardim
Foto: Reprodução
Recentemente, o “fantástico mundo de Hollywood” viu algumas de suas “estrelas” virarem cadentes. Várias acusação de assédio sexual revelaram um verdadeiro mar de lama onde mergulha, o vencedor do Oscar, Kevin Spacey. Nem mesmo a falha tentativa de se humanizar diante do fato – assumindo sua homossexualidade – impediu com que a Netflix o demitisse na última sexta-feira (3).

Alguns dias antes, em uma carta aberta, a escritora Anna Graham Hunter afirmou também ter sido assediada por outro ator premiado pela Academia de Cinema. Dustin Hoffman, segundo relatou, flertava e falava sobre sexo com ela, que na época tinha 17 anos e era estagiária de produção. Inclusive, chegou a apalpá-la em diversas situações.

“No meu primeiro dia de trabalho, ele pediu por uma massagem nos pés, eu fiz. Ele me cantava com frequência, apalpou minhas nádegas, falava sobre sexo comigo e na minha frente. Um dia, fui ao camarim checar o que ele queria de café da manhã. Ele respondeu: “Quero ovos quentes, e um clitóris morno”. Sua equipe gargalhou. Eu saí, muda. Então fui ao banheiro chorar”, conta.

Por causa desta revelação, um entrevista de Meryl Streep, publicada em 1979, pela revista Time voltou à tona nas redes sociais. Na ocasião, a atriz contou que conheceu Hoffman anos antes do filme Kramer versus Kramer, quando estava fazendo uma audição para um espetáculo da Broadway dirigido pelo próprio ator.

“Ele chegou até mim, disse ‘Eu sou Dustin Hoffman’ e colocou a mão no meu seio’. Um porco desagradável, eu pensei”, afirmou Meryl. Esta entrevista foi publicada no mesmo ano em que o clássico Kramer versus Kramer, protagonizado pelos dois, foi lançado.

Em sua biografia, publicada em 2016, Meryl revela agressão física de de Hoffman, quando ele a estapeou durante as filmagens deste filme. Isso foi confirmado pelo autor Michael Schulman, que afirmou que na gravação da cena de abertura do longa, o ator bateu no rosto de Meryl sem que ninguém esperasse. Segundo relato, foi tão forte que deixou uma marca vermelha. Hoffman ainda provocava a atriz com comentários sobre o seu ex-namorado, John Cazale, que havia morrido naquele ano.

Foto: Reprodução
Kramer versus Kramer conquistou sete estatuetas do Oscar em 1980, incluindo a de melhor filme, melhor diretor (Robert Benton), melhor ator (Hoffman) e melhor atriz coadjuvante (Streep). Depois desse episódio, os dois atores não voltaram a trabalhar juntos.

Via Revista Fórum com informações da Veja
Foto: Felipe Américo
“Cura Gay? Reflexões em torno da judicialização das sexualidades.” Este é o tema do evento realizado pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos – Tirésias da UFRN com a presença da professora da Universidade de Brasília e doutora em sociologia Berenice Bento, nesta sexta-feira (10), a partir das 18h30, no auditório do Instituto Ágora, Campus Central da UFRN em Natal.

O evento foi motivado logo após o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara do Distrito Federal conceder, no dia 15 de setembro de 2017, uma liminar que, na prática, torna legalmente possível que psicólogos ofereçam pseudoterapias de reversão sexual, popularmente chamadas de “cura gay”. O juiz determinou que o Conselho Federal de Psicologia alterasse a interpretação de suas normas de forma a não impedir os profissionais “de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia.

Esse fato causou reações de diversas entidades ligadas à defesa direitos humanos, do Conselho Federal de Psicologia, de Serviço Social e do Conselho Regional de Psicologia e de Serviço Social do RN.

Não obstante tal acontecimento e desenlace, no dia 20 de outubro, a comunidade acadêmica da UFRN foi surpreendida com a notícia que a “psicóloga cristã” Marisa Lobo, uma das fundamentalistas que defendem tais práticas, tem uma palestra agenda na UFRN. O Tirésias entende que a UFRN não deve ser palco para fundamentalistas religiosos. Entende-se, do mesmo modo, que é preciso reagir e resistir a essa onda conservadora também em nossa universidade.

Diante desse quadro, o Núcleo Tirésias promove esse debate com a presença da professora Berenice Bento, pesquisadora nacionalmente reconhecida, a fim de discutir mais profundamente tal assunto, diante da controvérsia criada e da necessidade de defender os direitos humanos da população LGBT, numa conjuntura francamente adversa.
As inscrições são gratuitas e devem ser feitas por meio do Sigaa. O evento também é aberto ao público externo.

Berenice Bento

Professora do Departamento de Sociologia (UnB) e pesquisadora do CNPq, Berenice Bento é graduada em Ciências Sociais (UFG/1994), mestre em Sociologia (UnB/1998), doutora em Sociologia pela UnB/Universidad de Barcelona (2003) e pós-doutora (CUNY/EUA, 2014). Em 2011 foi agraciada com o Prêmio Nacional dos Direitos Humanos da Presidência da República.


Além de publicar em periódicos nacionais e internacionais sobre os temas como descolonialidades, estudos queer, direitos humanos e marcadores sociais da diferença (sexualidade, gênero, raça/etnia), a renomada pesquisadora é autora dos livros “A reinvenção do corpo: gênero e sexualidade na experiência transexual” (Garamond, 2006, 1a. ed./ EdUFRN, 2014, 2a. ed.), “O que é transexualidade” (Coleção Primeiros Passos/Brasiliense, 2012, 2ª. ed.) e “Homem não tece dor: queixas e perplexidades masculinas” (EdUFRN, 2013), “Estrangeira: uma paraíba em Nova Iorque” (Annablume, 2016) e do mais recente “Transviad@s: gênero, sexualidade e direitos humanos” (EDUFBA), que será lançado durante evento promovido pelo Núcleo Tirésias na próxima sexta.


Foto: Reprodução
Túlio Gadêlha, 29, é pernambucano e desde o mês passado tem sido fotografo junto com a apresentadora global Fátima Bernardes.

O bonitão, que é formado em direito e filiado ao PDT - partido pelo qual concorreu a vereador e deputado federal, sem sucesso em ambas as candidaturas - logo chamou a atenção dos fofoqueiros de plantão.

Nós que não somos bobas nem nada já fomos vasculhar as redes sociais desse boy magia para compartilhar com as manas da Bicha Natalense.

E elaboramos 10 motivos para amar o novo bonitão do pedaço.

Se liga só.

Ele é charmoso:


É de esquerda:


Simpatizante com a causa LGBT:


Fez campanha pra Dilmãe:


E foi pras ruas pedir #DiretasJá depois do golpe:


Vai de bicicleta para o trabalho:


É comunicativo e inteligente:


Mesmo sério ainda consegue ser charmoso:


Não abre mão de defender seus ideais:


E ama aventuras:


Fotos: Reprodução/Heinrich Aikawa/Instituto Lula e Fotos Públicas
As redes sociais ganham cada vez mais importância em processos eleitorais. A mais recente pesquisa do Ibope sobre a eleição presidencial de 2018 comprova a tese, destacando a importância dessas ferramentas na ascensão de Jair Bolsonaro (PSC-RJ), deputado que se consolidou como segundo colocado na disputa, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. As informções são de Ricardo Mendonça, do Jornal Valor.

No principal cenário pesquisado, Bolsonaro tem 13% das intenções de voto diante de 35% de Lula. Se apenas entre os eleitores que costumam usar internet votassem, o deputado teria até dez pontos a mais, entre 18% e 23%, dependendo do rol de adversários.

A vice-liderança isolada de Bolsonaro desaparece, quando são considerados apenas eleitores que não usam ou não têm acesso à rede. Nesse grupo, as intenções de voto em seu nome variam de 5% a 6%. Um desempenho modesto, que não se distingue dos resultados alcançados por Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), João Doria (PSDB) e Luciano Huck (sem partido) no mesmo segmento.

Com Lula ocorre o oposto. No universo dos eleitores sem internet, o petista sobe. Atinge 44% no principal cenário testado e chega a 46% em outras simulações. São taxas lhe dariam vitória no primeiro turno. Entre os conectados, porém, Lula não passa de 31%.

Conforme os critérios do Ibope, eleitores que costumam usar internet representam pouco mais de dois terços do total (68%). Os sem-internet são 32%.

Para fazer esses agrupamentos, os entrevistadores do instituto fizeram duas perguntas a cada uma das 2.002 pessoas que participaram da pesquisa, além das questões eleitorais. A primeira foi se o entrevistado tem o costume de usar a internet. A segunda, aplicada só aos que responderam “sim” na questão anterior, foi para investigar a frequência de acessos à rede nos últimos três meses (todos os dias, ao menos uma vez por semana, ao menos uma vez por mês, menos de uma vez por mês ou nenhuma vez no período).

Foram classificados como os sem-internet os eleitores que responderam “não” à primeira pergunta e os que responderam “nenhuma vez [nos últimos três meses]” na segunda questão. O levantamento feito entre 18 e 22 de outubro. A margem de erro é de dois pontos.

Via Revista Fórum com informações do Jornal Valor
Foto: Reprodução
A apresentadora de Wendy Williams, 53 anos, deu um grande susto na plateia e nos telespectadores durante a comemoração do Dia das Bruxas, nesta terça-feira (31), em seu programa de TV nos Estados Unidos.

Durante a transmissão, Wendy passou mal e desmaiou ao vivo no The Wendy Williams Show.

O programa chegou a sair do ar e ir direto para os comerciais. Na volta, ela explicou o que aconteceu.

“Aquilo não foi uma armação”, disse Wendy, já recuperada do susto. “Meu corpo ficou superaquecido por causa da minha fantasia e eu realmente desmaiei. Mas quer saber? Eu sou uma campeã e eu estou de volta!”. A plateia foi ao delírio e a encheu de aplausos.

Veja o vídeo:
Foto: Divulgação
A gastronomia de fim de ano em Natal sai dos ambientes fechados para ocupar as ruas. De 2 a 4 de novembro, abre o calendário da cidade o Natal Fest Gourmet — Gastronomia e Cultura, na praça Augusto Severo, Ribeira. O local é porta de entrada do bairro histórico, onde estão localizados o Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão e o Teatro Alberto Maranhão, espaço onde será realizado posteriormente o Festival Literário de Natal e o Festival de Violeiros.

O Natal Fest gourmet contará com praça gastronômica com cinco restaurantes, concurso, palestras, oficinas na Arena Senac de Gastronomia e exposição de produtos gastronômicos. Completam a programação os shows musicais e uma galeria de arte com exposição de 30 trabalhos de 15 artistas visuais, sob a curadoria de Vatenor Oliveira.

O festival tem incentivos da Lei Djalma Maranhão da Prefeitura de Natal, patrocínio do hotel Praia Mar e Ocean Palace. Sua realização conta com as parcerias da Fecomércio, Sesc, Senac e Sebrae-RN. A direção e produção geral é do empresário Habib Chalita Júnior.

Os restaurantes Paçoca de Pilão (Regional), Cozinha Ecológica dos chefs Deborah Sá e Marcelo de Medeiros (Vegana contemporânea), Chopp & Camarão (Frutos do mar), Restaurante do Bidoca (carnes e cozinha regional) e a Caroli Doces estarão na praia. Cada estabelecimento contará com uma praça própria e um menu com dez pratos acessíveis, sendo um deles gourmet, criado pelo restaurante. A carta de vinhos será da Adega São Cristóvão.

SHOWS MUSICAIS DAS 18H30 ÀS 2h

A programação musical oferecida pelo I Natal Fest Gourmet vai contemplar algumas feras da música potiguar. Na quinta-feira (2/11) quem abre a programação é o multi-instrumentista, cantor e compositor Sami Tarik, o “Executivo do Pandeiro”, com show das 18h30 às 21h30. Na sequência, entre 21h30 a 0h30, sobe ao palco a intérprete Dani Lucas, cantando bossa nova. A cantora Daniela Fernandes foi convidada a encerrar todas as noites do Festival. Intérprete da nova geração que vem se destacando nos palcos locais, Daniele tem uma formação que transita entre a dança e música, mas ficou conhecida da cena cultural por dar voz à famosa Roda de Samba Ribeira Boêmia.

Na sexta-feira (3/11), o choro toma conta da praça. O quarteto Regional Choro da Terra promete encantar com seu repertório atemporal de grandes mestres do choro. O grupo uniu os instrumentistas Anchieta Menezes, Jonathas Marques, David Silva e Cesar Sampaio em torno do compromisso de valorizar e divulgar autores que fizeram e fazem o acervo de nossa música brasileira, de Chiquinha Gonzaga (Gaúcho o Corta-Jaca) a K-Ximbinho (Sonoroso); de Pixinguinha (Vou Vivendo e Carinhoso) a Zé Menezes (Encabulado).

No sábado, a partir das 18h, o virtuosismo sonoro do contrabaixista Sérgio Groove dá o tom da noite. Ele se apresenta acompanhado do saxofonista Ozi Cavalcante e o baterista Daniel Grossmann. Groove é baixista e multi-instrumentista, arranjador e compositor, com 25 anos de carreira, trajetória em que integrou várias bandas, produziu mais de 200 discos e atuou em diversos festivais instrumentais brasileiros e internacionais

CONCURSO INÉDITO E COZINHA AO VIVO

Depois de mais de 30 inscritos e dez receitas selecionadas, o Concurso Popular de Gastronomia, uma parceria Natal Fest Gourmet e Senac RN, escolheu os 4 semifinalistas que cozinharão ao vivo durante o Natal Fest Gourmet: João da Silva com a receita ‘Preto no Branco — bacalhau com arroz negro’; Maria Aparecida dos Santos com ‘Nhoque de Batata Doce e Almôndegas de Cordeiro com Molho Pesto de Hortelã’; Maria Stella Albuquerque de Farias e o ‘Camarão a Pasta de Cenoura com Jerimum’; Samara Cristina Soares dos Santos com a ‘Trilogia de Porco’.

O I Concurso Popular de Gastronomia foi lançado em outubro, onde os participantes de toda Grande Natal puderam se inscrever enviando 1 receita gravada em vídeo de 5 minutos. Dentre as mais de 30 inscritas, foram classificadas dez receitas e seus respectivos cozinheiros tiveram a oportunidade de prepará-las ao vivo, na etapa presencial realizada no laboratório de gastronomia do Senac, Centro, dia 27. Depois de avaliados pela curadoria do Senac, quatro participantes foram escolhidos para estar na semifinal que ocorrerá durante o Natal Fest Gourmet, no sábado, 4 de novembro, a partir das 18h30.

Na Arena Senac de Gastronomia, os quatro chefs participarão da 'Batalha de risoto de camarão'. Os dois melhores risotos/competidores se enfrentarão mais uma vez ao vivo, ao final da noite cada um receberá uma caixa com ingredientes surpresa e teremos o campeão. 
Além do concurso ao vivo, a Arena Senac de Gastronomia contará com várias oficinas de chefs convidados, como François Schmmitt, e profissionais do Senac RN. 

INGRESSOS BENEFICENTES

O Natal Fest Gourmet firmou uma parceria com o SESC RN em prol do programa Mesa Brasil, a rede nacional de voluntários voltada para captação de banco de alimentos para assistir entidades e pessoas com vulnerabilidade alimentar. Mil ingressos foram doados pelo festival para que o SESC possa trocá-los por 1 lata de leite em pó (ou o similar em pacote). Os ingressos valem para o primeiro dia do evento (quinta-feira, dia 2) e podem ser trocados em todas as unidades do SESC de Natal e região Metropolitana. Os pontos de troca são o Sesc cidade alta, Sesc Zona Norte, Potilandia, Sesc Macaíba, Sesc Ponta Negra e Sesc Enseada Praia Hotel Ponta Negra.

Para acompanhar as novidades, siga o FestGourmet no perfil oficial no Instagram (www.instagram.com/natalfestgourmet/).
Foto: Reprodução/Youtube/Teleton
Manas, esse depoimento do casal gay que adotou o Daniel é emocionante.

Foto: Divulgação
A 4ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO agita culturalmente, a cidade de São Miguel do Gostoso, com uma tela de cinema (12 m de comprimento) montada ao ar livre, na Praia do Maceió. A população terá a chance de ver os mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros de 17 a 21 de novembro.

O projeto oferece uma série de cursos de formação técnica e audiovisual para 53 jovens de São Miguel do Gostoso e distritos arredores. Ao longo de cinco anos o grupo de jovens já realizou 33 oficinas, produziu 10 curtas-metragens e três edições da Mostra de Cinema de Gostoso, que possui  direção geral de Eugenio Puppo e Matheus Sundfeld.

Sobre São Miguel do Gostoso (RN)

Localizada no Rio Grande do Norte, a 110 km da capital Natal, precisamente na ponta oeste do continente sul-americano, a cidade de São Miguel do Gostoso, conhecida como a esquina do continente, possui cerca de nove mil habitantes e apresenta belezas naturais e uma localização geográfica privilegiada, que atraem turistas principalmente de esportes radicais como o kitesurfe.

A cidade tem sido constantemente destaque entre conceituados veículos de mídia nacional e estrangeira como um dos melhores e mais atraentes destinos turísticos do mundo. Em matéria do jornal britânico Daily Telegraph, São Miguel do Gostoso surge entre praias da Malásia, África do Sul e Barbados como um dos Melhores lugares do mundo para se viver.

No suplemento “O melhor do Brasil” da revista Veja, a cidade foi escolhida como o melhor dos “novos destinos” da região nordeste. O jornal Valor Econômico publicou ampla reportagem sobre São Miguel do Gostoso, citando a cidade como um paraíso pacato, autêntico e com muito charme.

Com isso, a cidade vem apresentando um elevado crescimento no número de pousadas: mil leitos contabilizados em 2011 e uma rica e talvez única diversidade gastronômica no Estado.

MOSTRA COMPETITIVA (PRAIA DO MACEIÓ)

LONGAS-METRAGENS

Arábia - Ficção | 96 min | MG | 2017 | 16 anos
Direção: Affonso Uchôa e João Dumans

Café com Canela - Ficção | 102 min | BA | 2017 | livre
Direção: Ary Rosa e Glenda Nicário

Escolas em Luta - Documentário | 77 min | SP | 2017 | livre
Direção: Eduardo Consonni,  Rodrigo T. Marques, Tiago Tambelli
Gabriel e a Montanha - Ficção | 131 min | RJ | 2017 | 14 anos

Direção: Fellipe Barbosa

CURTAS-METRAGENS

Borá - Documentário | 14 min | RJ | 2017 | livre
Direção: Angelo Defanti

Carneiro de Ouro
Documentário | 25 min | DF | 2017 | 10 anos
Direção: Dácia Ibiapina

Chico - Ficção | 22 min | RJ | 2016 | 10 anos
Direção: Irmãos Carvalho

Leningrado - Documentário | 20 min | RN | 2017 | livre
Direção: Dênia Cruz

Mamata - Ficção | 29 min | BA | 2017 | 12 anos
Direção: Marcus Curvelo

Meninas Formicida - Ficção | 13 min | SP | 2017 | 14 anos
Direção: João Paulo Miranda Maria

Nada - Ficção | 27 min | MG | 2017 | livre 
Direção: Gabriel Martins

No Fim de Tudo - Ficção | 15 min | RN | 2017 | 10 anos
Direção: Victor Ciriaco

SESSÕES ESPECIAIS NA PRAIA DO MACEIÓ

As Duas Irenes (Fabio Meira, GO, 2017, 85min)

Os Últimos Cangaceiros (Wolney Oliveira, RJ, 2011,80min)

Jonas e o Circo Sem Lona (Paula Gomes, BA, 2016, 81min)

A Rotação da Terra (Dir.: Matheus Sundfeld, SP, 2017, 15min)

FILMES COLETIVO NÓS DO AUDIOVISUAL

O Grande Ó (Coletivo Nós do Audiovisual, RN, 2017, 10min)

Moeda Gostoso (Coletivo Nós do Audiovisual, RN, 2017, 13min)

Os Dois Lados do Lixo (Coletivo Nós do Audiovisual, RN, 2017, 12min)

Foto: Divulgação/ Os Segredos do rio Grande
MOSTRA INFANTIL

A Árvore de Humberto (Dir. Alunos do Projeto Animação, ES, 2016, 14min)

A Árvore e o Beijo (Dir. Cristiano Requião, RJ, 2015, 10min)

A Festa dos Encantados (Dir. MasanoriOhashy, DF, 2016, 13min)

A Fuga (Dir. Douglas Alves Ferreira, SP, 2015, 10min)

A Ilha das Crianças (Dir. Zeca Ferreira, RJ, 2016, 12min)

A Noiva do Coelhinho (Dir. Rafael Franco, GO, 2016, 11min)

A Orelha de Van Gogh (Dir. Thiago Franco, MG, 2015, 11min)

Boycóptero (Dir. Almir Correia, PR, 2016, 11min)

Cabelo Bom (Dir. Swahili Vidal / Codir. Claudia Alves, RJ, 2017, 15min)

Hora do Lanchêêê (Dir. Claudia Mattos, RJ, 2015, 15min)

Insustentarte (Dir. Thiago Ottoni, GO, 2015, 3min)

Ketz (Dir. Jackson Abacatu, MG, 2016, 1min)

Luiz (Dir. Alexandre Estevanato, SP, 2017, 16min)

Mãe de Giz (Dir. Almir Correia, PR, 2015, 5min)

Meu Pequeno Herói Não Sabe Voar (Dir. Pedro Jorge, SP, 2015, 19min)

O Bagre de Bolas (Dir. Luiz Botosso e Thiago Veiga, GO, 2017, 5min)

ÒrunÀiyé - A Criação do Mundo (Dir. Jamile Coelho e Cintia Maria, BA, 2015, 12min)

Os Segredos do Rio Grande (Dir. Alunos do Projeto Animação e Analúcia Godoi, ES, 2017, 5min)

OsibaKangamuke - Vamos Lá, Criançada (Dir. HayaKalapalo, TawanaKalapalo, Thomaz Pedro e Veronica Mona, SP, 2016, 19min)

MOSTRA PANORAMA

A Retirada para um Coração Bruto (Dir. Marco Antônio Pereira, MG, 2017, 15min)

A Terceira Margem (Dir. Fabian Remy, MG, 2016, 57min)

Anderson (Dir. Rodrigo Meireles, MG, 2017, 20min)

As Boas Maneiras (Dir. Juliana Rojas e Marco Dutra, SP, 2017, 135min)

Autópsia (Dir. Mariana Barreiros, RJ, 2016, 7min)

Baronesa (Dir. Juliana Antunes, MG, 2016, 75min)

Casulos (Dir. Joel Caetano, SP, 2017, 13min)

Cuscuz Peitinho (Dir. Rodrigo Sena e Júlio Castro, RN, 2016, 15min)

Deusa (Dir. Bruna Callegari, SP, 2016, 18min)

Em Torno do Sol (Dir. Julio Castro e Vlamir Cruz, RN, 2016, 12min)

Era Uma Vez Brasília (Dir. Adirley Queirós, DF, 2017, 100min)

Meu Corpo é Político (Dir. Alice Riff, SP, 2017, 72min)

O Peixe (Dir. Jonathas de Andrade, PE, 2016, 23min)

Coletivo Nós do Audiovisual

O O Coletivo Nós do Audiovisual, é formado por jovens de São Miguel do Gostoso, no estado do Rio Grande do Norte e distritos vizinhos. O “Nós” no sentido literal da palavra, significa um grupo onde todos estão interessados em abrir novas possibilidades de atuação e assim realizar filmes. O coletivo foi criado em 2013 pelos alunos dos Cursos de Formação Técnica e Audiovisual, realizados em Gostoso pela Heco Produções (SP) e pelo Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania (CDHEC-RN).

O coletivo já participou de 32 oficinas e realizou oito curtas-metragens entre 2013 e 2016. Com todo o conhecimento adquirido ao longo desses anos, o grupo também participa da produção da Mostra de Cinema de Gostoso onde, ao mesmo tempo que trabalham, aprendem e trocam conhecimentos com cineastas de outros estados presentes durante a mostra. Uma oportunidade única para esses jovens que descobriram no audiovisual uma oportunidade de crescer tanto profissional quanto pessoalmente.

Heco Produções

A Heco Produções atua, desde 1995, em projetos culturais de formação artística e educacional nas áreas de cinema, televisão, publicação e exposição. Realizou os documentários Sem Pena (Melhor Filme – Júri Popular – 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; Melhor Documentário no 41º Festival SESC Melhores Filmes e Menção Honrosa no FEST In Lisboa); Ozualdo Candeias  e o Cinema (Seleção Oficial Festival do Rio 2013 e Mostra Competitiva do 18º Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade); São Miguel do Gostoso; República; Transanarquia, Sociologia da Crise e Luar de Vila Sônia, estes três últimos  em parceria com o cineasta Jorge Bodanzky. Está em fase de montagem da série para TV em 13 episódios intitulada História da Alimentação no Brasil, baseado no livro homônimo do escritor potiguar Luís da Câmara Cascudo.

A Heco tem como principais parceiros Cinemateca Brasileira, Museu da Imagem e do Som, TV Cultura, Museu Afro Brasil, Centro Cultural Banco do Brasil, Caixa Cultural, Banco do Nordeste do Brasil, CSN, BB DTVM e AMBEV. Já colaborou com o Museu Rainha Sofia, o Museu de Arte Moderna de Nova York, o Festival Internacional de Rotterdam, a Cinemateca Portuguesa, o Centro Georges Pompidou, a Cinemateca Francesa, entre outros.